quarta-feira, 30 de abril de 2008

Estarão os Bombeiros preparados para terem EPI

Entende-se que essas equipas de primeira intervenção são constituídas por elementos com formação e capacidades para entrevirem em qualquer situação de emergência, somente devem ser utilizadas nessas situações.

Estarão os Bombeiros preparados para a sua existência?

Essas equipas estarão nos quartéis paradas a espera que ocorra uma situação de emergência, o seu trabalho está depende disso, o ideal é que nunca exista serviço para eles entrevirem, porque a existência de serviço para essas equipas acarreta o sofrimento para alguém ou a destruição de bens públicos ou privados, originando avultadas despesas, mas essas equipas tem que existir, nunca podendo ser rentabilizadas ou usadas noutros serviços que não o socorro, porque isso põem em causa o socorro como a existência dessas equipas.

Os Bombeiros que são organizações não governamentais, dirigidos e comandados por todo tipo de pessoas, onde muitas das vezes esquecem por completo a verdadeira causa da sua existência, onde o socorro muitas das vezes é escorado em proveito de outros serviços mais rentáveis, como o serviço de transporte de doentes, com a existência de dessas equipas será uma tentação para muitos comandos e direcções.

Estarão os Bombeiros portugueses preparados para terem EPI?

4 comentários:

Anónimo disse...

As EIP's - Equipas de Intervenção Permanente, e não EPI's (equipas de primeira intervenção) são produto de uma boa intenção do Governo da República, no sentido de dotar as Corporações de Bombeiros Voluntários de uma Equipa operacional com vista a aumentar a capacidade de resposta em matéria de prestação de socorro à população, nos dias úteis e no período diurno, altura em que é mais difícil ter os recursos humanos necessários para uma saída de socorro, sendo por isso o objectivo principal ELEVAR O NÍVEL DE PRONTIDÃO.
Não deixa de ser uma mais valia em matéria de prestação de socorro, no período em que é mais difícil ter recursos humanos.
Em Vieira do Minho esta equipa já está no terreno, sendo a primeira EIP a nível distrital, e julga-se mesmo, a nível nacional nos distritos onde foram implementadas as condições para tal.
AM

Fénix disse...

Em relação a designação, EIP, EPI, GPB, PPO etc, depende dos acordos existentes, certamente são uma mais valia para o socorro, mas quem fiscaliza essas equipas?
Fácil de ver depois esses homens a efectuar consultas e transferência.

Anónimo disse...

Respondendo ao bloguista anterior tenho a dizer o seguinte:
Se os elementos do Comando de um Corpo de bombeiros forem uns bananas, e os elementos da Direcção uns oportunistas, então estes profissionais da EIP vão fazer serviços não enquadrados no socorro. Se tal não acontecer, então todos ppodemos estar descansados que a equipa é de facto uma mais valia para prestar um bom socorro à população, pelo menos foi com essa convicção que os responsáveis de Vieira do Minho, logo na primeira hora, abraçaram esta boa iniciativa do governo.
O espírito que esteve na génese da criação deste grupo de profissionais é para colmatar a dificuldade que por vezes há em ter os recursos humanos para o socorro, mesmo com o alerta via telemóvel e sirene, durante os dias úteis no hora´rio tradicioanl de trabalho, vulgo, hora de expediente.
Bem hajam as EIP's
AM - Vieira do Minho

Fénix disse...

A constituição desses grupos pode ser recente ai, mas eles já existem a algumas décadas em muitos concelhos, onde esse projecto foi criado desses antigos grupos, posso até provar isso.

Somente espero que os comandos e direcções cumpram com o protocolo assinado, seria de louvar.