sábado, 22 de maio de 2010

- Pai! Quanto o Sr. Ganha por hora fazendo ECIN?


Um menino filho de um Bombeiro voluntario, com voz tímida e os olhos cheios de admiração, pergunta ao pai, quando ele chega a casa:

- Pai! Quanto o Sr. Ganha por hora fazendo ECIN?

- Um euro e setenta cêntimos.

- Então, papai, o Sr. poderia me emprestar um euro?

O pai, admirado pela atitude do seu próprio filho, respondeu:

- Então era essa a razão de querer saber quanto eu ganho?

Vai dormir, menino!

Já era tarde quando o pai começou a pensar no que havia acontecido e sentiu-se culpado.

Talvez, quem sabe, o filho precisasse comprar alguma coisa.

Querendo descarregar sua consciência , foi até o quarto do filho e, em voz baixa, perguntou:

- Filho, está dormindo?

- Não pai! (respondeu o sonolento filho)

- Olha aqui está o dinheiro que me pediu, um euro.

- Muito obrigado, pai! (disse o filho, levantando-se e retirando setenta sentimos de uma caixinha que estava sob a cama).

Agora já completei, Pai! Tenho um euro e setenta cêntimos. Poderia me vender uma hora de seu tempo?

Para reflectir:

"Será que estamos dedicando tempo suficiente aos nossos filhos?"

Autor Fénix (texto adaptado a realidade dos bombeiros voluntários portugueses).

1 comentário:

anasousa44 disse...

oi...
Esta mensagem devia de ser lida por todos os bombeiros.
Eu sou bombeira á sete anos e tenho assistido a colegas não darem o devido apoio aos filhos menores.
Por mais que eu ame ser bombeira e ame estar no quartel não deixaria um filho para segundo ou terceiro lugar.

Infelizmente á quem seja mãe ou pai muito cedo e então deixam os filhos na sogra ou mãe e esquecem-se que eles precisam do nosso amor, carinho e alem de tudo da nossa presença na vida deles.

Não culpo ninguém mas....