domingo, 16 de março de 2008

INEM admite falhas no socorro

As chamadas para o 112 têm aumentado nos últimos dias. Todos os pedidos de emergência, que são reencaminhados para o Centro de Orientação de Doentes Urgentes (CODU), têm registado um atraso significativo no socorro, segundo avança o Jornal de Notícias.

Na passada quinta-feira, o serviço de socorro teve um aumento de 400 chamadas em relação à média. O INEM registou 1900 chamadas em vez dos habituais 1500 pedidos diários.
Os processos acumulam-se e têm resposta por ordem de chegada, independentemente da gravidade. Os pedidos de emergência são prejudicados devido a este sistema. O coordenador do INEM, Nuno Catorze, admite falhas no socorro.


Jovem morre na escola quando praticava desporto Morreu à espera de assistência

A morte de um jovem de 14 anos é o quarto episódio que acontece nos últimos quinze dias por dificuldades no accionamento do socorro.

João Rui Barata sofreu uma paragem cardio-respiratória na escola secundária do Montijo. O aluno aguardou cerca de meia-hora por uma ambulância, depois de uma colega ter contactado o 112. Uma auxiliar de educação acabou por apelar aos bombeiros que se deslocassem à escola para socorrer o aluno. As manobras de reanimação dos bombeiros, realizadas até à chegada ao hospital, revelaram-se infrutíferas.

A chamada do CODU acabou por se accionada quando o aluno já estava no hospital. «A activação foi feita no momento correcto. Só que outras já estavam à frente dessa proposta. Na realidade, esse atraso deveu-se a uma quantidade anormal de chamadas», explicou o coordenador do INEM Nuno Catorze, citado pelo Jornal de Notícias.


O INEM quis que todas as chamadas de socorro fossem encaminhadas para as centrais CODU, onde as chamadas eram tríadas e efectuado o accionamento de meios de socorro, uma só central recebe diariamente chamadas de socorro de vários distritos, e o resultado dessa politica esta visível, as centrais CODU perderam a capacidade de efectuar triagem, accionar meios e receber a informação das equipas no terreno.

Esta na hora de mudar, antes que existam mais mortes

2 comentários:

Fly disse...

Impossível não comentar!
E podem passar-se séculos que vou sempre recordar aquela 5ªf negra, maldito fim de tarde.
Estava lá.
Fui uma das professoras que acudiu ao João Rui,
Fui uma das centenas de pessoas que assistiu ao terror de ver uma vida a partir assim daquele forma tão vil, tão inarrável...
O CODU estava ao telefone connosco, a instruír-nos sobre a forma de o reanimarmos (o que conseguimos durante os 12 minutos que lhe mantivemos o pulso) mas a verdade é que nunca foi accionado o socorro devido, ambulância com SBV e a VMER... Meia hora depois surgem os bombeiros, em ambulância de socorro normal e a razão deste meu comentário prende-se com o que vou escrever a seguir: OS BOMBEIROS NÃ FIZERAM MANOBRAS NENHUMAS DE REANIMAÇÃO! NENHUMAS!!
ZERO!
É MENTIRA COM AS LETRINHAS TODAS!
Aliás o João Rui saíu cadáver da escola e venha lá quem vier dizer-me o contrário...

Nada justifica esta morte e ninguém merece morrer por falta de socorro...é que para mim se a tempo e horas tivesse chegado um desfibrilhador, e quem o pudesse utilizar, o João Rui ainda estava entre nós

:-(

Anónimo disse...

ler todo o blog, muito bom